(11) 3403-5941

Atendimento ao Cliente

(11) 94506-1083

WhatsApp

contato@bragancapocos.com.br

Email

(11) 3403-5941

Central de Atendimento

(11) 94506-1083

WhatsApp

Com a crise hídrica que anda assolando diversas cidades brasileiras, os poços artesianos ganharam um intenso destaque.

O poço artesiano nada mais é do que um poço perfurado que tem como função captar água no subsolo, e que normalmente não precisa de bombeamento para levar a água até a superfície, já que isso acontece graças à corrente d’água. Sua vazão é tão alta (uma média de dois mil litros por metro cúbico) que os poços são, muitas vezes, perfurados em lugares onde o abastecimento de água potável é precário, e costumam durar 40 anos.

É importante lembrar que a quantidade de água presente em um poço artesiano vai variar de acordo com o local em que ele foi perfurado, e que pode ter mais ou menos acúmulo de água no aquífero.

Construção de poços tubulares profundos

Existem diversos poços artesianos que podem ou não precisar de revestimento. Por exemplo, se eles são feitos em uma rocha consolidada, normalmente não necessitam de nenhum revestimento, já que o buraco feito se mantém em equilíbrio. Isso já não acontece em lugares onde a formação é de areia, pedregulhos, argilas expansivas ou outras formações que não são consolidadas e que podem desequilibrar o espaço por conta da pressão da água e, por esse motivo, o revestimento se faz necessário.

Quando a perfuração é feita em rochas cristalinas, o poço deve ter a profundidade máxima de 80 metros, e o seu diâmetro não fica menor do que 4 polegadas, ou maior do que 6 polegadas. Na perfuração, são dispensados pré-filtros, filtros e revestimentos, e são ideais para o abastecimento de casas ou vilãs, já que possuem uma vazão baixa.

Já nas rochas sedimentares, os poços podem ter até mil metros de profundidade, e o diâmetro pode chegar a ter 22 polegadas. Assim como nas rochas cristalinas, eles possuem vazão baixa e precisam de revestimentos, filtros e pré-filtros.

Agora, quando os poços são feitos em rochas sedimentares, sua profundidade pode chegar aos mil metros, e os que possuem diâmetro de até 22 polegadas recebem um revestimento de produção de 8 polegadas. Seu perfuramento é feito com máquinas de percussão e rotação, e não de percussão e ar comprimido como nos outros dois casos. Esse tipo de rocha exige a colocação de revestimento, filtros e pré-filtros, e tem um custo elevado para perfuração. Além disso, suas vazões são variadas e podem abastecer uma única comunidade ou uma grande cidade.

O revestimento dos poços nada mais é do que a tubulação que deve constituir as paredes dos poços prontos, e tem como objetivo sustentar as paredes de perfuração e ser responsável pela constituição da condução hidráulica dos poços. Normalmente, são usados tubos de PVC aditivado ou tubos metálicos feitos em aço estirado que não possuem solda ou que são soldados apenas em geratriz. Como eles não possuem solda ou cola, este tipo de tubo é usualmente colocado em poços de pequena profundidade.

Além disso, são usados também centralizadores que conseguem manter a coluna de revestimento distante da parede do poço facilitando dessa maneira a descida dos filtros e pré-filtros. Esses centralizadores têm uma movimentação livre e são colocados soltos ou revestidos, dependendo do tipo de poço.

Já o pré-filtro é um material colocado nesse espaço que fica entre a coluna e os tubos, e que dá suporte ao filtro, que é uma tubulação que tem como objetivo facilitar a chegada da água até a superfície, sem que, dessa maneira, a pessoa perca muita água, como um controlador de fluxo.

Vale lembrar que os poços, depois de perfurados, precisam de uma limpeza para a retirada de resíduos e partículas de perfuração que é feita pela própria empresa.